Vou dizer de uma vez: não estabeleci laços com meu bebê de imediato. Eu estava curiosa com relação a ela; queria inspecionar suas unhas afiadas e translúcidas, sua cabeça com cabelos pretos sedosos e como exatamente ela fazia aqueles balbucios. Mas eu estava assolada por um amor que transbordava? Não. Eu sentia admiração, surpresa, alívio e exaustão. Ainda assim, empenhei-me bastante para parecer que estava “estabelecendo laços” com ela porque sentia uma enorme pressão invisível para ser uma boa mãe.

 

Jenny - 32 anos, mãe de um

Jenny - 32 anos, mãe de um

Jenny - 32 anos, mãe de um

1 of close

Jenny - 32 anos, mãe de um

prev    
 

Estabelecer laços é uma experiência multissensorial que nos permite desenvolver uma maior conscientização da vulnerabilidade do nosso filho. A liberação da oxitocina, o hormônio que, entre outras coisas, faz com que você busque um elo mais próximo, em sua corrente sanguínea durante o trabalho de parto e o nascimento ajuda nisso. Isso nos estimula em um nível primitivo a assegurar que nosso filho receba o calor, o alimento e o cuidado de que precisa. Não obstante, com frequência há uma grande expectativa com relação ao estabelecimento de laços, como se isso pudesse acontecer apenas de uma forma prescrita.  Não é à toa que as mães de primeira viagem se sentem confusas e pressionadas.

Estabelecer laços pode parecer uma fantasia, da mesma maneira como você sentiu sua barriga crescer, viu as imagens do ultrassom e se apaixonou pelo seu filho que se desenvolvia.  Porém, a ideia que uma pessoa faz e sua experiência podem ser diferentes e dissonantes. Assim que seu filho nasce, estabelecer laços poderá assumir uma forma mais física por causa das tarefas bastante práticas como dar de mamar, dar banho e fazer o bebê dormir, portanto pode parecer que há pouquíssimo tempo para refletir sobre como você se sente com relação ao seu filho. Isso poderá fazer com que você se questione se tem o “mágico vínculo materno” sobre o qual leu. Toda essa interação prática, contudo, é exatamente o que a ajudará estabelecer o laço.

Assim como em qualquer relacionamento, estabelecer laços com seu bebê poderá não ser algo simples. Diferente dos modelos anteriores de estabelecer laços, com bebês, o elemento da reciprocidade não está presente durante meses. Eles não conseguem interagir e dar dicas verbais e não verbais que esperamos das pessoas de quem somos próximas, e isso pode dar uma sensação de esgotamento.

Uma forma de estabelecer laços com o bebê, como em todos os relacionamentos saudáveis, é desenvolver rituais - algo que pertença somente a vocês dois. Poderá ser o ritual do banho ou de colocar para dormir, ou sua caminhada, quando você o mima ou sorri para ele. Você aprenderá o que lhe é mais adequado.

Às vezes, os sentimentos de apego demoram a surgir e dizem que isso acontece com uma em cada cinco mães. Se você se sentir constantemente paralisada ou indiferente, é importante conversar com o médico ou enfermeira para buscar apoio sobre como se sente. O mais importante é que você se mantenha segura. A maternidade é uma jornada emocional e psicológica complexa e é diferente para cada mulher.

Os laços que você terá com seu filho são um trabalho para a vida toda. Alguns poderão ser referentes a fases específicas e serão cultivados e rompidos, como a amamentação. Outros poderão durar para sempre, como ler ou praticar esportes. Lembre-se de que isso é um processo, e não um momento singular derradeiro.