A fadiga pós-parto é um dos maiores desafios da maternidade. Embora seja normal, não significa que não vai surpreendê-la. A exaustão é debilitante e, quando combinada com a tarefa de ser uma nova mãe, sua autopercepção pode ser abalada. Você poderá se sentir vulnerável, irritada e, às vezes, chorosa e desanimada.

Como uma mãe de primeira viagem diz:

É como se fosse uma piada de mau gosto. Assim que você recebe o pequeno milagre, seu corpo fisicamente vai a nocaute! Tipo, por que não produzir um pouco mais de adrenalina para que você sobreviva aos primeiros seis meses?

Cyndi, mãe de Farrah, de oito semanas.

As pessoas com frequência se esquecem de que ter um bebê é uma enorme empreitada física, psicológica e emocional. Nos primeiros dias, o canal de parto ainda está dolorido e você continuará sangrando. Se você sofreu um rasgo durante o parto ou foi submetida à episiotomia, haverá dor e coceira à medida que os pontos cicatrizam. Se você foi submetida a uma cesariana, assim como qualquer cirurgia invasiva, isso limitará a mobilidade.

Há o desconforto do leite saindo e o aprendizado de uma nova rotina de alimentação, seja qual for a opção que você escolher.

Também há a ansiedade bastante real com relação a ser a melhor mãe que você puder ser: tranquilizar-se de que você é uma boa mãe que sabe, e que continuará sabendo, o que é o melhor para seu bebê. Quando você realmente dormir, poderá ser em intervalos curtos e a sensação poderá não ser de descanso. Tudo isso em um momento em que você está aprendendo a conhecer seu bebê e se sente compelida a atender cada uma de suas necessidades.

Todos esses aspectos da maternidade consomem energia e os listamos aqui para tranquilizá-la de que há motivos reais para estar tão cansada assim e para quebrar os silêncios codificados sobre como são as primeiras semanas da parentalidade.

Saiba que há um momento em que o cansaço passa. A maioria das mães se sentirá como você em algum momento, então tente não se cobrar tanto. Sentir-se cansada assim não é sinal de fraqueza ou de uma incapacidade de ser mãe de sua parte. Você está se saindo bem nessa fase naturalmente desgastante do começo da maternidade.

 

Também há a ansiedade bastante real com relação a ser a melhor mãe que você puder ser: tranquilizar-se de que você é uma boa mãe que sabe, e que continuará sabendo, o que é o melhor para seu bebê. Quando você realmente dormir, poderá ser em intervalos curtos e a sensação poderá não ser de descanso. Tudo isso em um momento em que você está aprendendo a conhecer seu bebê e se sente compelida a atender cada uma de suas necessidades.

Todos esses aspectos da maternidade consomem energia e os listamos aqui para tranquilizá-la de que há motivos reais para estar tão cansada assim e para quebrar os silêncios codificados sobre como são as primeiras semanas da parentalidade.

 

Saiba que há um momento em que o cansaço passa. A maioria das mães se sentirá como você em algum momento, então tente não se cobrar tanto. Sentir-se cansada assim não é sinal de fraqueza ou de uma incapacidade de ser mãe de sua parte. Você está se saindo bem nessa fase naturalmente desgastante do começo da maternidade.
Acho que o primeiro mês é o pior. É um pouco menos difícil no segundo e no terceiro meses. Mas, para mim, ficou mais fácil no quarto mês.

Petra, mãe de Max, de seis meses.

 

Estar de plantão vinte e quatro horas por dia, sete dias por semana é difícil, portanto poderá parecer loucura quando as outras pessoas dizem para você descansar enquanto o bebê descansa. Porém, o descanso é importante, então como você pode superar isso desta vez?

  • Reconheça para si mesma e publicamente quão cansada você está.
    Tente não permitir que outras pessoas ou até mesmo sua voz interna ignorem a sensação de desespero muito real que a falta de sono pode desencadear. Amar seu bebê não significa que você tem de fingir que todos os momentos são um mar de rosas.
  • Peça ajuda.
    Ser uma boa mãe não tem nada a ver com ser perfeita. Muitas boas amigas e familiares querem ajudá-la, mas talvez instintivamente não saibam como, então diga a eles – seja específica. Esse é o momento de dizer: “Você pode me ajudar pendurando as roupas lavadas?”
  • Alimente-se bem para aumentar sua energia
    Nas primeiras semanas, peça para as amigas e os familiares trazerem comidas prontas em porções maiores, que você pode dividir e congelar.
  • Tente descansar quando seu bebê estiver dormindo.
    Faça isso com a máxima frequência que puder. Pequenos momentos de pausa diminuirão o consumo da sua energia. Não se trata de comodismo ou indiferença. Você precisa descansar para se recuperar fisicamente e encarar as novas demandas em seu ritmo.

Às vezes o que parece fadiga pós-parto pode ser outra coisa. Se seu cansaço perdurar e você não vir nenhuma melhora, poderá ser depressão pós-parto, um desequilíbrio hormonal como hipotireoidismo ou falta de mineral, como ferro. Você conhece a si mesma melhor do que ninguém e saberá quando algo estiver errado, então não tenha medo de conversar com seu médico ou com a enfermeira.