Muitas mulheres relatam ter um novo respeito por suas mães assim que dão à luz. Agora que se dão conta do trabalho incrível que é ter um recém-nascido, elas ficam maravilhadas com a forma como sua própria mãe pareceu gerenciar tudo de maneira tão simples. Às vezes, esse sentimento se estende para além da sua família nuclear, incluindo outras mães em seu círculo familiar.

Gerenciando a vinda da família

É difícil imaginar como esse sentimento de cordialidade pode se desintegrar rapidamente quando os novos avós ou parentes vêm para ficar, mas, em muitos casos, uma mãe de primeira viagem, sobrecarregada e exausta, desejará profundamente que todo mundo vá embora e a deixe em paz. Ou, se você estiver se hospedando na casa da sua mãe, poderá desejar profundamente voltar para seu próprio lar. Mas como você pode dizer isto sem ofender ou parecer ingrata?

Gerenciando a vinda da família

Uma das áreas mais complicadas é a dos conselhos não solicitados, que entra em conflito com o caminho que você quer seguir. As coisas realmente mudaram em relação a quando a geração mais antiga cuidava de bebês. Um exemplo clássico é a posição em que um bebê deve dormir. Hoje em dia, um bebê é posicionado de costas para dormir, enquanto há uma geração era de frente. Em outros momentos na história poderá ter sido de lado ou até apoiado pela cabeça, se pensarmos nisso.

Gerenciando a vinda da família

 

Tente se lembrar de que elas amam você e seus conselhos vêm de um desejo de tornar a vida mais fácil. Se esse não for o caso e o bebê for apenas mais um capítulo em uma guerra contínua entre você e elas, então isso não será resolvido agora, portanto ranja os dentes e limite as visitas. Provavelmente há três grandes áreas de disputa:

  • Se o bebê é deixado chorando;
  • Onde ele dorme;
  • E como ele mama.

É bastante provável que seus pais tenham seguido uma rotina mais rigorosa do que a que você poderá escolher, mas se eles foram criados na primeira era da parentalidade com apego, poderá ser ao contrário. Eles poderão defender uma abordagem mais liberal, enquanto você quer estabelecer uma rotina.

Lembre-se de que o bebê é seu e não deles, e você deve se manter firme quanto às suas escolhas, ou pelo menos se manter firme com relação à sua capacidade de fazer escolhas quando se sentir pronta. Normalmente se diz que você não cresce por completo até se tornar mãe e assumir a responsabilidade por outra pessoa. Você não tem que receber o conselho, que felizmente é bem-intencionado, mas tente permanecer calma, agradeça-os pela sua opinião e explique que gostaria de experimentar fazer as coisas deste jeito.

Se você tiver ido para a casa dos seus pais e se sentir oprimida e claustrofóbica, isso não tem de ser visto como algo negativo. Você pode evitar sentir isso ao dizer que gostaria que seu bebê se acostumasse com o ambiente da sua casa assim que possível e sugerir que eles lhe façam uma visita, com uma das refeições caseiras deliciosas da sua mãe (!) muito em breve.

Peça as coisas que você precisa. Se você estava acostumada a cuidar dos convidados quando eles a visitavam, você ou eles poderão esperar que esse ainda seja o caso. No entanto, as coisas estão diferentes agora e é fundamental colocar as suas necessidades em primeiro lugar. Com bastante frequência, uma visita poderá pensar que deve entreter o bebê enquanto você coloca a casa em ordem. Isso poderá ser adequado para uma visita rápida, mas se a pessoa for permanecer hospedada por um tempo, pergunte se ela poderia preparar o jantar ou lavar a roupa enquanto você dá de mamar ao bebê ou dorme um pouco. As pessoas poderão ter esquecido de quanto esforço emocional e físico é mobilizado ao dar à luz e cuidar de um recém-nascido, então não tente ser a Mulher-Maravilha. Deixe-se mimar, permita que outras pessoas façam o trabalho, mesmo se elas não fizerem as coisas da forma como você gostaria. Não é o momento de se preocupar com o serviço doméstico ou, de fato, com qualquer coisa, exceto conhecer seu bebê.